Volta aos Anos 80 no MC de Rosa da Penha


Volta aos Anos 80
no MC de
Rosa da Penha

Serginho Cabeção, do banda de rock local
Brígida D'la Penha, e as "Oitentetes"

Crescemos brincando pelas ruas de nossa amada Big Field e fazendo muitos amigos que na época vinham das "periferias" como Rosa da Penha, Vila Capixaba, Jardim América, Itaquari, Itacibá e outros bairros... 

Falamos assim como se Campo Grande não fosse tratada como periferia de outros centros...

Mas foram nessas condições que várias vertentes do underground surgiram e se mantêm até hoje realizando encontros e discussões de nosso modo de vida e existência...

Todos nós tínhamos em comum a pobreza material da década de 80 que já separava as pessoas pela classe social, em que rixas entre movimentos de rua eram constantes...

Mas lembremos de outras coisas boas da sociedade em que escolhemos viver, como o resultado que alcançamos com toda essa miscelânea cultural...

Assim encontramos velhos amigos que venceram as injustiças e o preconceito que marcaram nossa época.

Agora todos fazemos parte do que chamam "Grande Campo Grande". Mas podem chamar como quiserem porque nossa história nunca esqueceremos...

DJ e animador de festa Luis da Viola contemplando seu ótimo repertório, fruto de pesquisas e de seu bom gosto

.











É por isso que filhos ilustres de Rosa da Penha reergueram a sede do Movimento Comunitário do bairro, abandonado há pelo menos 15 anos, e realizaram, no último sábado, 20, a festa "Embalos de um Sábado...", festa beneficente para fortalecer o "caixa" do Movimento Comunitário, que só voltou à existência pela união de alguns destemidos que buscaram o apoio da PMC e de alguns empresários... e também das Palhetadas do Rock...

O encontro relembrou a década de 80 sob a batuta do DJ e animador de festa Luis da Viola, com repertório regado a Campari e alguns latões socializados entre os sedentos of rock que prestigiaram a ação...

Decoração com discos de vinil doados por Pantera e globo de luz, strobo, máquina de fumaça e demais petrechos do DJ

Luiz da Viola confraternizou com o Movimento Comunitário disponibilizando seu tempo, técnica e equipamentos para a realização do encontro... 

Parabéns ao Luis, nosso brother, que faz o que ama, e por isso faz perfeito...




A festa foi realizada no porão da sede do MCRP, muito bem limpo e arejado por potentes ventiladores. Prédio reformado, com banheiros novos, por conta principalmente do próprio bolso dos filhos ilustres desse bairro. Cerveja gelada não faltou com saborosos tira-gostos.



Agora a comunidade de Rosa da Penha ganhou mais um espaço de encontros, debates e aprendizado social além dos templos religiosos, que são muitos e que também não deixam de ser locais de convívio...

No entanto, os órfãos culturais do bairro agora têm a opção de se reunirem num espaço distante dos evangelhos mas não tão distante da política: "é o melhor que tá tendo"...

As Palhetadas do Rock estiveram presentes e sempre irão apoiar iniciativas como essas...

Temos em nossa memória que no final da década de 80 esse editor punk com seu amigo Dílio Lira, hoje músico consagrado nacionalmente, realizaram evento na então sede do Movimento Comunitário de Rosa da Penha... Foi massa!

Do seu editor do underground...

As Palhetadas pulsam...

Parabéns a Janinho, Jorge Ramos, Serginho Cabeção e a tantos outros descendentes das terras de Maria Preta que concretizaram a volta do Movimento Comunitário de Rosa da Penha...

TUDO PELO ROCK!
Edição iniciada às 8h45 e concluída às 12h20


Maria Clara, presença constante, a musa dos rocks



Ao fundo, à direita, Fabíola Santos, Fernanda Machado,
Maria Clara, a musa dos rocks, e, sentada, Sandra Mara






Ao centro, a irmã de nosso querido amigo Tatu












Ser ou não ser, eis a questão...




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Woodstock: a história ainda não acabou

Carnapunk em Cariacica

Cariacica Punk - Crônica 01