domingo, 12 de março de 2017

Aos Amantes dos Clássicos e dos Vinis


Aos Amantes dos Clássicos e dos Vinis: um passeio por Sampa


Fora do ar? Ainda não... 
Uma visita das Palhetadas à Grande São Paulo...

Estivemos no que fora o maior fã clube oficial da banda Ramones no Brasil, onde funciona hoje a loja especializada em punk, hardcore e Ramones, Fora do Ar, na Galeria do Rock, Centro de São Paulo.

Do mesmo dono há 23 anos, Douglas admite que os bons tempos tiveram seu fim com a internet e o mp3, que transformaram o mercado e a forma de consumo. Douglas lembra que teve os Ramones em sua loja autografando álbuns para uma multidão.

Hoje a loja Fora do Ar se especializou numa parte da cultura geek, mas não abandonou as temáticas do underground. Além de quadrinhos e estampas de HQ's, Douglas ainda exibe exemplares raros de vinis das décadas de 80 e 90, apresentando com especial orgulho álbuns assinados pelo próprio punho dos Ramones.


A loja Fora do Ar, do Douglas, ainda se mantém na Galeria do Rock, no Centro de São Paulo, de fácil acesso tanto físico quanto pelas mídias sociais

Velhos Tempos, Velhos Templos

Em formato de vulva, o outrora "templo do rock", a Galeria, não exibe mais aquela aura da cultura que impulsionou tantos jovens.

O rock, o heavy metal, o punk e o hard core, são apenas artefatos e panos de fundo para um centro comercial quase comum no Centro velho e nostálgico de São Paulo.

Ainda assim, vale a visita e o convívio com símbolos tão conhecidos de todos nós: vinis, cd's, música... onde observamos cada espaço ou negócio, formado agora principalmente por estúdios de tatuagem e oficinas de estamparias, tentando explorar esse filão do mercado.

Também temos muitas lojas de acessórios e camisetas, mas nada que não tenhamos visto ainda... A Galeria do Rock mantém uma lembrança do underground talvez pelos preços mais acessíveis dos alugueis na região, preservando ainda a especialidade do rock.


A vulva do rock, o verdadeiro templo de nossa peregrinação


Galeria Nova Barão

Mas São Paulo cresceu e nos oferece muito mais que Woodstock e Galeria do Rock. São diversas lojas de vinis em diversos recintos comerciais que, sem espaço na famosa galeria, esses desbravadores do underground buscaram novos ambientes de manifestação e relacionamento.

A galeria Nova Barão é um exemplo disso. A passadas largas chegamos facilmente em seu endereço. Uma galeria comercial no Centro velho de Sampa, não muito distante da outra, sem nada a dever à mais famosa.

Com apenas 1 piso dedicado às lojas de vinil, a galeria nos apresenta o suficiente para nos alegrarmos.

Estivemos com o Big Papa, cubano de nascimento que está no Brasil há dez anos e nos apresenta uma coleção de vinis da classe jazz de muita raridade da qual, confessamos, ainda somos aprendizes... mas aconselhamos a visita nesse inusitado festival de variedades e raridades.

Thank you so much, Big Papa!


O Big Papa, de inglês fluente, trabalha em sua loja com a esposa, recebendo muito bem os visitantes que sabe muito importantes para o sucesso de seu negócio

Em Busca do Olho, encontramos o Ratos

Visitamos a loja The Records, a qual indicamos aos punks de todo gênero, na mesma galeria Nova Barão. Ali encontramos o Mateus, proprietário também do selo Nada Nada Discos, especializado em relançamentos de raridades perdidas no tempo.

Fomos também com a expectativa de reencontrar o Fábio Sampaio, vocalista da banda punk Olho Seco, frequentador daquela galeria, mas o encontro ficou para as próximas Palhetadas do Rock. Com o Fábio, estivemos em agosto de 2014, quando o entrevistamos para o blogue. Mas encontramos com o Juninho, baixista do Ratos de Porão, também entrevistado pelas Palhetadas, em março daquele mesmo ano.

Na conversa, ao nos identificarmos como capixabas, o caro Mateus lembrou imediatamente de um de seus clientes virtuais: Léo Aranha, um dos mais fieis que sempre encomenda vinis, mas que nunca esteve pessoalmente em sua loja.

Mas que mundo pequeno, não? Léo Aranha, nosso parceiro do underground, baterista punk de diversas bandas, dentre elas o Harmonia Turbulenta, que indicamos ao selo Nada Nada Discos para uma reedição rara.


Acima, Mateus à esquerda e Juninho, baixista da banda Ratos de Porão, num breve bate papo com as Palhetadas do Rock

Será Ray o próprio Jim?

A loja Blue Sonic, na mesma galeria Nova Barão, indicamos a todos os viajantes, pois conhecer o Ray Captain, nos fez recordar tantas boas histórias do underground pelas quais todos nós passamos, seja na Cariacica punk ou no centro da maior cidade da América Latina, pois as experiências foram as mesmas e quase ao mesmo tempo, mudando apenas as cabeças...

Ray Captain, no primeiro minuto de conversa, nos trata como velhos conhecidos, como se tivéssemos passado por todo underground juntos, nos deixando à vontade para falarmos de tudo, gostos musicais, velhos lançamentos, bandas novas... enfim, indicamos especialmente essa parada estratégica cultural.

Será Ray o próprio Jim? Não é à toa que Ray apresenta uma das biografias de Jim Morrison... pra se ter uma boa conversa, só com boas leituras...

Esse foi um breve roteiro para os viajantes sedentos of rock... Não deixem de apreciá-lo...

Do seu editor punk...

TUDO PELO ROCK!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

As palhetadas agradecem. TUDO PELO ROCK!