terça-feira, 11 de março de 2014

O reencontro da cena underground de Cariacica

O reencontro da cena underground de Cariacica 

Paulo Henrique Linguiça, vocalista do RHC, e Zota: unidos depois de 20 anos de muito rock para produção do vinil da banda

Os fuck rockers regozijaram...

As Palhetadas registraram o reencontro de dois ícones de uma mesma geração contestadora, forjados no caldo cultural das décadas de 80 e 90: o premiado cartunista Zota, cariaciquense da gema, e o ambientalista Paulo Henrique Lingüiça, destemidos punk rokers.

Zota nos recebeu em seu home office, na ilha de Vitória, num momento de "relax".

De "chinelas de dedo", descontraído, brinca lembrando de estórias do tempo em que frequentava a "cena punk" em "Big Field".

Zota é apresentado ao livro Rockrise, de J. R. Santos Neves, que cita a banda RHC e sua participação na cena cultural capixaba

Nesse encontro, Zota recebeu das mãos de Paulo Henrique a camiseta da banda Resistência Hard Core (RHC) e foi convidado a participar do projeto de gravação do vinil.

De imediato, aceitou e literalmente vestiu a camisa, brincando: "Vocês sabiam até o meu número..."

Paulo Henrique, então, passa às mãos de nosso destemido cartunista punk rocker as ideias de uma arte para a capa do vinil materializada por Henrique Viana, artista plástico da temática anarquista.

Zota, compenetrado e sem as chinelas, analisa profissionalmente a proposta de peça para o projeto

Vai ser punk!

Para situar, o RHC é uma banda cariaciquense de hard core e punk rock remanescente da década de 80, atuante até os dias de hoje, da qual Zota fora seu primeiro vocalista.

Banda RHC no aniversário do bar Rendez-Vouz, na Jerusalém, em fevereiro de 2014...
Banda RHC 20 anos atrás: Zota, sem chinelas, no vocal, Márcio Malacarne (guitarra), Reginaldo Porquinho (bateria) e Bill (contrabaixo)...

Oh yes... Sedentos of rock... Assim começam as grandes coisas... Elas têm de ser boas, úteis e belas, pois só então deixarão sua marca no tempo...

E 2014 começa exatamente como sempre, "depois do carnaval", lembra Zota.

Então, vamos ao rock! Ou melhor, vamos ao punk rock!

Um grande abraço do seu editor preferido, e até as próximas Palhetadas do underground...


2 comentários:

  1. Que maneiro, adorei a reportagem, amizade é tudo, parabéns a banda RHC e continuem por favor a resistir a tudo de podre desse mundo capitalista vociferando, berrando, contestando e alertando o povo oprimido, contra os fascistas miseráveis desse mundo valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela participação em nosso blog, amigo Bissá.

      Excluir

As palhetadas agradecem. TUDO PELO ROCK!