quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Grupo de teatro T'Astral


Grupo de teatro T'Astral encerra oficina no Oriente

Da esquerda pra direita: jovens cariaciquenses que podem ir além de seu sonho


Atenção artistas e amantes de todas as artes...

O grupo de teatro T'Astral encerra mais uma temporada de formação e capacitação de atores jovens em Cariacica.

Mais uma vez os incentivos da Lei João Bananeira são traduzidos em ações positivas com frutos culturais que muito vão nos orgulhar.

Cena do sketch Metamorfose, que trata de comportamento e aceitação social com grupo de jovens no bairro Oriente

A todos que queiram saber, os capixabas são reconhecidos no meio artístico nacional, onde quer que sejam apresentados, por seu talento, mas, principalmente, pela forma de lidar com as pessoas. Somos comunicativos, extrovertidos e bem formados...

Por isso tantos capixabas no meio artístico...

E também por isso Nelson Ricardo Amaro, ator, autor e diretor de teatro, não desiste de apostar nessas promessas.

Paulista de nascimento, mas há 24 anos no Espírito Santo, foi apresentado às artes cênicas por Wilson Coelho, hoje grande amigo e parceiro, e por Paulo Henrique Oliveira, o "Linguiça", do Grupo Motim de Teatro, com o qual apresentou o marcante trabalho "O Criminoso", texto que discute a liberdade e a anarquia como filosofias de vida.

Paulo Henrique Oliveira e Nelson Ricardo Amaro: parceiros desde a formação do Grupo Motim de teatro, no bairro Oriente, em Cariacica

Atualmente Nelson Ricardo desenvolve essa oficina lastreada pelos incentivos da Lei João Bananeira, formando e capacitando jovens para o teatro. A oficina funciona semanalmente no bairro Oriente em espaço cedido pela igreja evangélica.

Um dos objetivos da iniciativa é formar grupos e pessoas que possam dar continuidade ao trabalho, que entendam de produção e que trilhem seu caminho como um grupo de teatro de rua.

"Minha ideia é propor esse novo projeto junto à lei de incentivo cultural para que eles tenham um figurino melhor, uma parte técnica melhor e até um cachê", afirma Nelson.












A oficina começou em setembro de 2012 e deve ser encerrada no começo de março.

No final do ano passado o grupo apresentou um Alto de Natal para a comunidade e agora estão nos ensaios finais para a apresentação de três skatches (Saúde mental, uma coisa legal; O decreto de Lampião; e, Metamorfose), que deverão ser apresentados na escola pública Joaquim José Quitiba, em Nova Brasília.

Abaixo, cena do sketch Metamorfose.


video

Seja convidado pelos próprios artistas:


video


Desse grupo, Nelson já indicou o jovem Adonel para trabalhar com Luiz Coelho na peça "A vida é sonho" e pretende levar pelo menos quatro consigo: "Nossa missão é propagar, fomentar, instigar para conhecer, fazer e produzir teatro", afirma.

Parabéns aos ativistas da cultura que mesmo transportando cenário e figurinos num carrinho de mão pelas ruas apertadas de Cariacica não desistem de seu ideal de fazer parte de uma humanidade melhor.

No currículo, as peças O Criminoso, com o grupo de teatro Motim, e Vitor ou Vitrola, com Hudson Braga e João Vita

Do seu editor do underground...

TUDO PELO ROCK!


2 comentários:

  1. parabéns palhetadas do rock
    cultura é nos! punk anarquia liberdade anti metal

    ResponderExcluir
  2. viva a arte livre! anti metaleiro anti cover anarquia punk valeu palhetadas do rock valeu teatro

    ResponderExcluir

As palhetadas agradecem. TUDO PELO ROCK!