segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Adeus a Marcelo Laranja

Adeus a Marcelo Laranja, guitarrista da banda Advertência




As Palhetadas do Rock agradecem e homenageiam a Marcelo Laranja, guitarrista da banda Advertência, de Cariacica, conhecida por todos os amantes do rock and roll desde a década de 80, quando iniciaram suas próprias palhetadas of rock.

Vida eterna ao músico, amigo e professor, nascido em Cariacica, que engrandeceu os porões, garagens e palcos da música capixaba.


Tivemos a honra de termos convivido com esse vencedor.

Tenho em minha memória várias imagens de Marcelo e sua banda, que com seu trabalho influenciou tantos jovens a iniciar seu caminho na música...

A você, Marcelo Laranja, um adeus especial de seus amigos das Palhetadas do Rock...



Você vai direto para o nosso Hall da Fama...

Do seu editor do underground...

TUDO PELO ROCK!

Palhetadas de Verão: Regência

Em Regência, Don Quixote Punk Contra os Moinhos do Progresso

Refinaria da Petrobrás desativada funcionou por pelo menos vinte anos bem no meio de área de preservação permanente


Não é de se admirar que a escola underground nos traga ótimos frutos, parceiros das palhetadas...

São cruzadas como as de Dom Quixote de La Mancha, mas contra moinhos reais: plataformas de petróleo sanguinolentas, o consumismo exacerbado, a ostentação da exploração econômica de seres humanos, a extinção do meio ambiente saudável...

Tudo se concentra nos chinelos havaianas nos meus pés, na marca volkswagen do meu carro, nos tênis asics e nike que uso, na gasolina que consumo...

Fica complicado assim...

Arte de Henrique Viana, artista plástico, que denuncia a destruição causada pela extração indiscriminada de petróleo em nosso Estado

Neste contexto uma turma destemida do underground se organiza anualmente, estando agora na terceira edição de um movimento refratário a tudo isso descrito acima...

É a galera do Pedal Contra o Pré-Sal, capitaneados por Paulo Henrique Lingüiça, punk velho, e Marcelão, carioacapixaba...




Chegada do primeiro grupo a Regência: foram 150 Km de pedal pelo litoral norte capixaba, com paradas em comunidades pesqueiras e mapeamento dos impactos da exploração do petróleo na fauna e flora locais

O movimento é contra a exploração danosa do petróleo e seus impactos negativos em comunidades de pescadores, áreas urbanas e meio ambiente.

O caso de Regência nos mostra que essa exploração invade áreas de preservação permanente além de não se importar com uma forma racional de retirada desse mineral do subsolo, distribuindo dutos, refinarias e poços sem respeitar os locais por onde passam.


video

São punks, estudantes universitários, casais enamorados, artistas plásticos, jornalistas profissionais, músicos, quilombolas, ativistas políticos (todos são), etc., que pedalaram das cidades de Vitória, Cariacica, Vila Velha e Conceição da Barra até Regência, em Linhares/ES, onde se encontraram e realizaram o encerramento de mais esse ato político com um grande pedalaço, mostra de documentários e panfletagem de material informativo em praça pública...

Além de ato político foi um passeio pelo litoral capixaba excursionando por vilas de pescadores e paraísos ambientais... A pedalada começou na quinta-feira, dia 23, e terminou no sábado.

Henrique Viana (artista plástico), Pulo Henrique Linguiça (FASE-ES) e Nilton José dos Santos, com neta e filho, coordenador do assentamento ribeirinho Caboclo Bernardo, em Regência

Após o ato público na praça da cidade, os pedalantes visitaram a ocupação Caboclo Bernardo, a cerca de 7 Km da vila de Regência, onde foram recebidos com um jantar de maravilhosa recepção e um céu repleto de estrelas...

Os pedalantes no assentamento: formado por 32 famílias, o movimento de assentados Caboclo Bernardo discute a posse de terra devoluta com grande empresa que se diz dona, contrariando parecer do INCRA e IDAF a favor dos colonos. Com isso, as famílias sofrem retaliação, não tendo acesso a energia elétrica, bloqueada por decisão judicial, e veem suas plantações destruídas por ações clandestinas

Violão, conscientização e bate papo... churrasco do bom, fogueira e céu estrelado... Foi assim que encerramos aquele sábado em Regência... No domingo, haja cerveja...

Jantar no assentamento

As cruzadas são muitas e precisamos de mais Dons Quixotes... Acompanhe nas Palhetadas do Rock a preparação para a próxima edição desse passeio/manifesto...

Alongamento para fortalecer a luta social

Estaremos sempre juntos nas jornadas undergrounds...

Do seu editor preferido...

Acessem todas as fotos aqui FOTOS FOTOS FOTOS

Oh yes, o seu editor do underground indica a pousada Vila Sérgio, 27-9-9802-1650, em Regência.

Preço especial para aqueles que citarem ter visto as fotos em Palhetadas do Rock/Pedal Contra o Pré-Sal.



TUDO PELO ROCK!

sábado, 18 de janeiro de 2014

Cine Colorado

Cineclube Colorado: "vamos pegar um filminho?"


O nome do cineclube faz referência ao único cinema que existiu em Campo Grande, Cine Colorado, nome escolhido na mesa do Bar do Pantera

A cena cultural "Carijaciquense" acontece com o apoio do "João Bananeira" ou mesmo pela dedicação voluntária.

Hoje, nosso município possui a iniciativa do cineclubismo, que democratiza o acesso a materiais audiovisuais, existindo como uma trincheira cultural diante da indústria cinematográfica e do poder do capital, proporcionando uma vivência de reflexão política e cultural.

E essa nossa trincheira estabeleceu-se aqui bem perto de nós...

O Cineclube Colorado está iniciando seu quinto ano de exibição de curtas, médias e longas metragens, brasileiros e estrangeiros.

As exibições são realizadas no Bar do Pantera, quinzenalmente.

A agenda 2014 do cineclube pode ser acessada em seu blog - link no final da matéria

Nesses cinco anos de atividade, várias pessoas contribuíram para a permanência do Cineclube Colorado. Mas temos que destacar o papel abnegado de Juliana Gama que, desde de seu início, não arredou o pé...

Destacar também a participação de Alex Índio, que participou do pontapé inicial.


Por dois anos o Cineclube Colorado foi beneficiado por leis de incentivo cultural de Cariacica e do Governo do Estado. Juliana Gama nos relata que a maior dificuldade hoje é para a locomoção dos equipamentos, pois a ideia de cineclube é que ele possa circular na cidade, ampliando a participação popular.

Por isso, as exibições são realizadas sempre no Bar do Pantera, que hoje não abraça mais os shows de rock mas continua fazendo parte da cena cultural.

Pantera diz: "sejam bem vindos"

Graças a esses punks, porque tem que ser punk, podemos nos orgulhar de fazer parte do cineclubismo brasileiro.

Juliana Gama, você acaba de entrar para o Hall da Fama das palhetadas do rock, espaço dedicado a homenagear aqueles anônimos que trabalham em prol da cena cultural de Cariacica, com seu próprio esforço e dedicação.

Receba um PARABÉNS de seu editor preferido e de todos os fuck rockers das palhetadas...

Os fuck rockers presentes na exibição do filme "Cine Hollyúdi"

TUDO PELO ROCK!
Abaixo, link para o blog do Cineclube Colorado.


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Rock das férias

Não sobrou tequila no balcão do Rendez-Vous

"O rock foi massa"

Tudo gira em torno do bom e velho rock and roll... Ou simplesmente da música...

Mas, quem faz o rock? Aliás, quem fez o rock? Foram as bandas RHC, Lover Can Kill, In Mind,

Scalenos e A Metamorfose, cover do Raul, de nosso amigo Churrasco.

E é claro, o público fiel, desordeiro e contra a ordem, como na letra da banda RHC...


RHC, com Paulo Ling no vocal: alimentos arrecadados serão doados a famílias de atingidos pela indústria do petróleo


Mais ainda, quem fez o rock foram Meri e Érico... indo além, vamos ver que o Bronha também fez o rock... E até eu fiz e ainda estou fazendo...

Mais uma vez percebo que as engrenagens de um mercado underground existem, só não sabemos os ingredientes para fazê-lo funcionar.

Já assisti em época recente perdermos tudo por falta de visão de mercado, pela inocência, ou pela falta de qualquer outra coisa que desconhecemos... 

Fato a se observar é que a casa Rendez-Vous abriu suas portas para cinco bandas das quais três eram autorais.

Não incluo a banda In Mind nesse grupo porque ainda optam pelos covers...

RHC, Love Can Kill e Scalenos, as duas primeiras de Cariacica e a última radicada em Viana, percorrem seu trajeto em busca de espaço e reconhecimento, a despeito de seus fãs e seguidores desconhecerem o real labor diário nos porões dos ensaios e das angústias existentes na busca desse pretenso mercado vindouro...

Para quem não esteve no local saiba que certamente a casa acomodou mais de trezentas pessoas ao longo daquelas cinco, seis, sete ou mais horas de diversão.



Eram punks, motorheads, grunges, metaleiros, rockers dos mais variados seguimentos do underground... Velhos conhecidos e novos amigos...

Os shows eram pra ter começado às 17h30, de acordo com o combinado com Érico, gerente do local. 

Mas a banda RHC, remanescente do movimento punk da década de 80, a primeira a tocar, só começou mesmo depois das seis da noite, com seu trabalho intitulado "anti-música", de acordo com definição de seu próprio vocalista, Paulo Ling.

Rolou hard core e punk rock em sua apresentação. 

Punk boys de Vila Velha: Léo Aranha, do Harmonia Turbulenta, Reginaldo, baterista, e Noé Filho, guitarrista e vocalista

Ao final, os punks de Vila Velha invadiram o palco e tomaram a guitarra e microfones... Mandaram bem umas oito músicas de um repertório bem vasto do Harmonia Turbulenta, banda autoral também remanescente da década de 80. 

Nos bastidores, a banda Lover Can Kill, metal core, já estava com os amps encima do palco, aguardando o final da apresentação punk que nunca acabava.

Quando os punks se tocaram, chegou a hora de deixar o palco, mas foi uma bela apresentação.

Lover Can Kill assumiu a direção e mandaram um metal core muito bem tocado. Como sabemos que ensaio é tudo, aposto que esses caras se encontram toda semana porque o sincronismo dos vocais estava muito bom.

Hendrix, que não é o Jimmy, mas é filho do baterista e fundador da banda Phossatery (heavy metal), também da década de 80, de Campo Grande, mandou muito bem na guitarra e vocal. Aliás, as guitarras soaram num timbre audível, deixando-se distinguir entre tantos decibeis de vozes, graves e agudos.

Quanto aos fãs, nem se fala... sua coreografia era energética, só para os fortes...

Ainda se apresentaram as bandas Scalenos e In Mind.

Os caras do Scalenos, hard core, são gente boa e têm noção de onde estão se metendo... Sabem que o caminho é árduo e que exige muito trabalho... É o que estão fazendo... Boa sorte, Scalenos...

Daí pra frente não tinha mais condições de acompanhar as apresentações... Fica para a próxima...

Em homenagem a todos nós, que bebemos no aniversário do Handez-Vous, do seu editor de sempre...

TUDO PELO ROCK!
As fotos, só amanhã... pau no computador...

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Punks ES ensaiam há mais de vinte anos

Punks finalmente vão

gravar em estúdio


Jack Zoopatia no palco, com Zé Renato em primeiro plano. Ao fundo, Alberto Vidal, punk velho...

É isso mesmo sedentos of rock... os punks do subúrbio estão indo pro estúdio... vão gravar e seja o que Deus quiser...

Zoopatia, Harmonia e Resistência Hard Core...

Leiam a resenha na íntegra no link Caravana Punk ES, na barra superior...

Do seu amigo de sempre.

TUDO PELO ROCK!


Novo edital da lei João Bananeira

A hora dos

rockers

Foto: Cláudio Postay.

Este punk rocker jornalista com Juninho: "daqui pra frente, tudo vai ser diferente". Prefeito teve adesão de grande empresa para trocar bônus dos próximos projetos da lei João Bananeira. Ao nosso lado, Alex Kruger, músico e poeta, e Daniel Del Fini, cronista das palhetadas do rock.


Aviso aos sedentos of rock de Cariacica: a prefeitura lança novo edital da lei João Bananeira para o ano de 2014 e, ainda sem a criação do fundo de cultura, os artistas e entidades vão depender da troca de bônus junto a empresas que recolhem o ISS - imposto sobre serviços.

No problem, rockers, parece e tal e coisa e tal que uma grande empresa de metalurgia comprometeu-se a trocar a maior parte dos bônus...


Vejam então vocês...

Nós, das palhetadas of rock, levamos exatos 365 dias, um ano inteiro, até conseguirmos trocar nossos valiosos bônus culturais...

Isso depois de fazermos contatos com dezenas de empresas e nenhuma sequer responder ao chamado da cultura de Cariacica.


O projeto, que já deveria estar pronto e publicado (História viva de Cariacica pela voz de seus afrodescendentes) está apenas no começo...

Hudson Braga, ao centro: desde 1985 nas artes cênicas e representando Cariacica em festivais de teatro. Prestigiando e ao mesmo tempo assumindo seu papel de artista, acompanhado por Alessandro Nicacio e João Vita.

Manja que te fa bene, Fabrício, mas temos que lutar pelo fundo de cultura, que daria fim à peregrinação do pires de porta em porta...

Simplesmente as empresas não estão nem aí, mas querem fazer bonito para a administração municipal... Por isso acaba ficando tudo para a última hora...


Alex Kruger (músico e poeta), Ezequiel Nascimento (músico), Daniel Del Fini (cronista das palhetadas) e Nicácio (agente cultural), reunidos em prol dos incentivos à cultura de Cariacica 

Mas relachemos, tudo vai dar certo.

Precisamos que todos aqueles que sejam interessados em alguma forma de expressão cultural se apresentem... O momento é agora...

A Banda de Congo Fanfa, da APAE de Cariacica, apresentou-se para os ouvintes

Do seu editor de sempre... Chega de pires na mão...

TUDO PELO ROCK!

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Ronnie Von psicodélico

Ronnie Von psicodélico






Oh yes, seguidores das palhetadas do rock...

Apresento-lhes mais um novo cronista of rock, trata-se desta vez de Daniel Del Fini, amante do rock e da boa música, expert em discografias e tudo mais...

Bom texto, ótimo analista e com experiência de vida...

Saudemos a esse novo rocker das palhetadas...

Leiam seu texto em sua coluna na barra superior...

Do seu editor de sempre.

TUDO PELO ROCK!

Não é Kafka, é Carminati! Não é metamorfose, é predação!

Não é Kafka, é Carminati! Não é metamorfose, é predação!

Thiago, barata.
Kafka, Metamorfose, Predação!
Thiago Barata.

Aos sedentos of rock um presente desse seu editor do underground!!!

Apresento-lhes Thiago Zanotti Carminati, na barra superior de acesso, nosso novo cronista das linhas marginais do rock...

Thiago é antropólogo e acaba de chegar do Ceará onde desenvolveu sua pesquisa em doutorado sobre um tema que só ele pode dizer...

Mas nosso novo amigo, é mais que isso, é poeta...

Leiam seu micro conto, o qual intitulo "Não é Kafka, é Carminati! Não é metamorfose, é predação!

Decifrem Predação! Boa leitura...

Do seu editor de sempre...

TUDO PELO ROCK!

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Na estrada: a poesia do Cariri encontra a Cariacica do Moxuara

Na estrada: a poesia do Cariri encontra a Cariacica do Moxuara


Ythallo Rodrigues, Elândia, Harlon Homem e Daniel Batata: integrantes do Laboratório do Caos, Conexões Poéticas e do Roteiro Poético-Boêmio do Cariri

Nem anjos, nem demônios, seus fuck rockers... apenas visionários do underground...

Não bastasse Cariacica ser a detentora de um dos pontos marcantes da geografia capixaba, monte Moxuara, ainda somos, bravamente, importante pólo de cultura marginal no Espírito Santo.

Também por isso, mas principalmente pelos filhos desta terra - aqui falo de Thiago Carminati, punk e antropólogo, e Daniel Del Fini, amante do rock and roll e cronista das palhetadas do underground - testemunhamos o importante encontro do Cariri com Cariacica, formando, quem sabe, a cena Cariri-acica... Oh yes...


Daniel Del Fini, à esquerda, "trocando ideias" com a turma do Cariri: música, poesia e caos que podem render a parceria Cariri-acica

Thiago Carminati e Fabíola Melca, cineasta, segundo e terceira da esquerda para direita: anfitriões dos amigos nessa breve passagem. O Cariri é a região metropolitana formada pelas cidade de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha, no Ceará


Atenção, fuck rockers! Arte é para os fortes.



A poesia e inquietude do Cariri, materializadas nos gestos, imagens, tensões, versos e acordes de Ythallo Rodrigues - diretor, Harlon Homem de Lacerda, Daniel Batata – trilha sonora, e Elândia irão repercutir em nossa história porque Cariacica será pano de fundo para a composição poética/política/literária e cinematográfica destes representantes de uma cena cultural altamente complexificada...



Trata-se do projeto Coração-Travessia em que nossos viajantes estão percorrendo cerca de 6 mil quilômetros, com partida na cidade de Juazeiro do Norte, até chegar a seu ponto extremo na cidade do Rio de Janeiro.



Em seguida, iniciarão o retorno por Minas Gerais – Ouro Preto, Cordisburgo, dentre outras cidades, chegando a Brasília. De lá, passarão pela Bahia – Barreiros, Piauí – São Raimundo Nonato e Oeiras, chegando finalmente ao ponto de partida, Juazeiro do norte, no dia 20 de janeiro.

Ao longo do percurso, previsto para durar 21 dias, o diretor Ythalo Rodrigues produzirá dois curta-metragens: uma ficção e um documetário. A ficção conta a estória de três personagens em busca dos motivos de sua experiência humana, parecendo ser uma busca existencial movida por sentimentos pessoais de autoconhecimento e relacionamento afetivo.

Agora, estão em nossa amada terra, "Carijacica", onde irão gravar cenas da ficção e da realidade que nos cerca para compor seus vídeos...

Ythallo Rodrigues é formado em letras e cursou a escola de cinema na universidade federal de Fortaleza/CE, tendo produzido dez curta-metragens, dentre eles “Lampião”, que circulou em festivais de São Paulo, Bahia e Ceará, e “Os versos mais lindos”, inédito em festivais.

Harlon Homem de Lacerda é poeta e professor na universidade estadual do Piauí, em Oeiras, premiado no circuito de poesia SESC-Juazeiro em 2000, tendo lançado o livro de poemas Poenomerados, em 2013. Elândia é pedagoga e faz parte do grupo Sétima de estudos de cinema há dois anos e inicia neste percurso sua primeira experiência, já desempenhando uma importante personagem feminina na ficção de Ythallo. Daniel Batata, como ele mesmo se define, é fudido e mal pago.



Com prefácio do amigo Ythalo Rodrigues, a obra Poenomerados de Harlon Homem demonstra, a partir do caos, a fugacidade da existência humana no mundo do ser e do dever-ser

Apresentação do livro Coletânea de Poetas do Cariri
do Laboratório do Caos, 2013



Mesmo que o nome Cariri nos soe diferente e inabitual, provocando equívoco de nossa parte na tentativa de pronunciá-lo, certamente a palavra Cariacica, de origem indígena, deva provocar o mesmo torpor em nossos visitantes... nada que uns bons tragos da "mardita" não possam resolver, que o diga Daniel Batata...

Já circula em nosso meio a ideia de convidá-los a participar de projetos culturais em nossa terra. Que seja verdade! Necessário para engrossarmos o caldo cultural de nossos dias...

Só registrando... do seu editor fuck rocker preferido, palhetadas do underground para todos...

Se você, fuck rocker, leu este texto até aqui, então dê um "Oh yes" lá embaixo e também torne-se um seguidor (ao lado)...

Até a próxima... do seu editor preferido, ao som de Bichos Escrotos e Desordem - Titãs 84/94 Vol. 2...

Links para conhecer a poesia do Cariri e o projeto Coração-Travessia:

http://diariodebordocoracao-travessia.blogspot.com.br/
http://www.oficinadepoemas.blogspot.com.br/
http://catarse.me/pt/coracaotravessia



Sorriso de pérolas e matando a "marvada"



Nosso punk da velha guarda, Osvaldo e amiga

Mazinho, heavy das antigas, e esposa



Postagem em destaque

Raul Seixas From Hell

Raul Seixas, From Hell Acima, o guitar man Wilson dando um toque no Raul. É ou não é from hell? Raul Seixas revisitado e...