segunda-feira, 18 de março de 2013

O punk com o Pé na Cova

Guilherme Junker (à esquerda), autor da música Velho Punk,
trecho abaixo, com Léo Aranha (baterista do Harmonia
Turbulenta) e, ao centro, um hard punk boy desconhecido


"entrei num vagão no centro da cidade,
um coroa me chamou a atenção,
coturno descolado, moicano abaixado
ele tinha um A tatuado
vou te falar como anarquizei,
na década de 60 eu apavorei..."



Dentre tantas emoções e atitudes punk para anarquizar e apavorar, a banda Pé na Cova, desfeita recentemente, em 2008, depois da morte do guitarrista, guarda com nostalgia vinte composições próprias, ao estilo do mais puro punk rock de subúrbio.

A banda é de Campo Grande, formada no gueto de São Geraldo, e tem em seu vocalista Guilherme Junker uma vida ativa para a música, para o punk, para as ruas e para a anarquia. Junker relata que depois da morte do seu parceiro, ficou três meses ouvindo Cazuza, Raul Seixas e Renato Russo.

Em conversa pessoal com esse maluco vê-se logo que o cara tem atitude, ou seja , personalidade, o que anda faltando em muitos que dizem pertencer ao mundo underground. Aos 23 anos de idade o cara pode ser chamado de "jovem Cazuza", pois carrega na veia a poesia e o gosto pela música de subúrbio, especialmente o punk, além, é claro, de não recusar ficar bêbado em boa companhia.

Hoje ele se apresenta em bares e festas, tocando "algo mais poético que punk rock", mas deixa claro que o underground corre em suas veias. Segundo Junker, não há espaço para guitarras destorcidas e gritos de rebeldia nos meios convencionais, por isso, passou a tocar algo mais poético para seu próprio sustento.

"Ouvi muito Cartola, Noel Rosa, Bezerra da Silva, Morais Moreira... tentando entender o 'outro lado'. Assim, consegui abrir minha cabeça e escrever muito...", relata Junker.

Então, Guilherme, vamos parando a conversa e plugando os instrumentos nos amps valvulados pra tocarmos juntos o melhor do velho punk. E chama o parceiro lá em cima, pra fazer uns solos e riffs de guita...

Estamos aguardando ansiosos o dia em que poderemos reverenciar a banda Pé na Cova com seu punk rock anarquista gritado e sonorizado nas vielas do subúrbio...

Do seu editor do capeta... quanto mais underground, melhor... Até a próxima palhetada do diabo.

Outra coisa galera, Guilherme Junker acaba de entrar para o nosso Hall da Fama. Saudações undergrounds.

2 comentários:

  1. errata: foto da esquerda p/ direita lucas " ex vocal da banda 5 ctrl 1" elton ex baixista e aranha. do mais ateh.



    atenciosamente Bronha

    ResponderExcluir
  2. Fala serio kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, chorei largado kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkse Guilherme depender da musica pra comer so vai comer viado, pois por falar em viado isso sim ele ta comendo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

As palhetadas agradecem. TUDO PELO ROCK!